RGM

RGM (Ribeirão Grande em Mapas)
O que é o seu projeto?: 

Sobre o projeto RGM

Em poucas palavras, RGM (Ribeirão Grande em Mapas) se resume em: “Acesso ao conhecimento”.

O objetivo é reunir dados sobre Ribeirão Grande e Região de forma aberta a outros que queiram colaborar tornando esse conteúdo disponível publicamente sem restrições de uso, como um conhecimento padronizado, de todos e para todos, envolvendo normas, cultura, história e dados geográficos e assim traçando um caminho melhor ou mais nítido para o entendimento dessa região e o que podemos fazer nela e por ela.

É um projeto sem fins lucrativos, e para atingir seus objetivos, utiliza alternativas gratuitas ou livres, como o uso de softwares livre e a plataforma de mapeamento colaborativo OpenStreetMap. Tudo para que você possa não só saber, mas também utilizar se precisar :)

Este projeto é uma iniciativa fundada através da Rede de Projetos do Programa Acessa São Paulo. Todos bastidores, diário, conhecimento envolvido e outros detalhes do projeto podem ser conferidos aqui no blog da Rede :)

Os dados de mapas levantados pelo RGM estão no OpenStreetMap, para que não só o RGM, mas outros projetos também possam ser desenvolvidos, e para que você também possa ajudar a construir um mapa cada vez melhor.

RGM OpenData Project (abertura de dados)

Conhecimento envolvido

Relatórios de mapeamento

Andamento

Notícias

Parcerias

Quais as fontes de dados do RGM?

Página: http://projetorgmsp.blogspot.com.br/

 

Por que ele é importante?: 

Pensando em como seria interessante saber onde achar o que precisa em sua cidade, saber o que existe lá e como encontrar um posto de serviço ou como entrar em contato com um cartório, escritório ou coisa do tipo - ou poder conferir estatísticas de como anda a segurança, o meio ambiente e outras questões idealizei o RGM. O conceito do RGM é que quando estamos em um lugar a muito tempo temos muitas informações sobre ele e por isso sabemos localizar o que precisamos, conhecemos problemas que existem lá e o mais interessante: podemos ajudar alguém que precise dessas informações. É possível que uma pessoa tenha informações fragmentadas, mas combinando com a informação de outras a informação seja mais consistente, completa e confiável. O RGM começa com meu trabalho individual, mas com ajuda de outras pessoas suas informações poderão ficar cada vez mais consistentes, completas e confiáveis. Então RGM procura levantar informações do local para o mundo virtual como um banco de dados público prestando diversos serviços. Estou trabalhando em mapeamento de diversos fins e procuro fazer isso de forma imparcial, visando o interesse de todos. Não há nada de revelador, indiscreto, ou coisa do tipo no RGM: O projeto pretende ser o mais transparente e prestativo à população possível. São informações que uma boa parte dos habitantes locais conhecem (fragmentada possivelmente), coisas que qualquer um presencia e e vê no dia-a-dia, mas provavelmente podem ser esquecidas, despercebidas ou poderiam ter um aproveitamento melhor.

Quais são os passos e estratégias para preparar seu projeto?: 

Através do mapeamento do município de Ribeirão Grande - SP,  mostrando informações sobre a cidade e seu território e informatizando dados que possam ser de utilidade pública.

 

Público Alvo: 
Pessoas em geral, independente do nível de informática que conheçam
Tipo do projeto: 
Preservação da memória local
Posto do AcessaSP: 
Número esperado de participantes do projeto: 
0

StreetView com dados do OpenStreetMap

Provavelmente você já deva ter ouvido falar do StreetView, onde você pode “entrar” em uma rua no mapa e ver as imagens de como ela é.

Agora imagina você mesmo montando um StreetView de onde você quiser, com mapas que você mesmo pode ajudar a fazer?

Veja este vídeo e conheça um pouco do Mapillary: http://vimeo.com/91600402

 


StreetView com dados do OpenStreetMap

Provavelmente você já deva ter ouvido falar do StreetView, onde você pode “entrar” em uma rua no mapa e ver as imagens de como ela é.

Agora imagina você mesmo montando um StreetView de onde você quiser, com mapas que você mesmo pode ajudar a fazer?

Veja este vídeo e conheça um pouco do Mapillary: http://vimeo.com/91600402

 


Ribeirão Grande no "Roteiros Paulistas" O Que Fazer Durante a Copa do Mundo da Fifa 2014

O município de Ribeirão Grande está localizado no roteiro “Aventura e Natureza” indicando Mata Atlântica, Cavernas e Trilhas com 3 dias á 200 km de capital.

Para divulgar e orientar quem deseja visitar a região, Ribeirão Grande está constantemente sendo mapeado no OSM (OpenStreetMap).


LandSat 8: mapeando no OSM com imagens de satélite atualizadas

Através do artigo Processing Landsat 8 Using Open-Source Tools encontrei um ótimo passo a passo para processar imagens de satélite atualizadas para o OSM.
O tutorial ensina a processar as imagens do satélite LandSat 8 e colocá-las em um mapa online no MapBox para que possa ser usado como um mapa de fundo para mapear no OpenStreetMap.

Buscando imagem no EarthExplorer
Montando camada no TileMill
Camada enviada para conta do MapBox
Usando a camada no JOSM

Mais imagens para mapear no OpenStreetMap através da camada MapBoxSatellite

Uma nova cobertura de imagens está disponível para mapear no OSM através da camada TMS MapBox Satellite, indo até o nível de zoom 19 em regiões como estados Unidos e parte da Europa e nível 17 para o restante do mundo.

Uma vantagem para o projeto é a possibilidade de mapear massas de água e vegetaç

Mapa da galeria de imagens do RGM com OSM e Leaflet

Ontem comecei a desenhar o mapa da galeria de imagens que mostrará imagens de Ribeirão Grande e região. Essa página usa Leaflet, PHP, JavaScript e MySQL. (Ainda em fase de testes)

Curiosamente, os primeiros testes com mapas foram através do projeto Monitor Virtual. :)


Rede de Projetos não tem fronteiras

Nesta segunda-feira tive uma surpresa em receber contato via rede social da Camilla Fernanda da Costa, aluna da pós-graduação de Ciências Geodésicas na Universidade Federal do Paraná:


Por que o mundo precisa do OpenStreetMap?

“Toda vez que eu falo para alguém sobre o OpenStreetMap, a pessoa inevitavelmente me pergunta: “Por que não usar o Google Maps?” De um ponto de vista prático, é uma pergunta compreensível, mas, em última análise, não é uma questão de praticidade, mas da reflexão sobre o tipo de sociedade na qual nós queremos viver”

A um tempo pensei em escrever sobre o assunto, mas este bom artigo trata bem dessa questão: http://gizmodo.uol.com.br/analise-openstreetmap/


Rumo ao Prêmio Mario Covas

\o/ Saiu a lista dos projetos concorrentes na categoria Cidadania em Rede do Prêmio Mario Covas!!

Será um grande oportunidade de apresentar os trabalhos realizados e trocar experiências com os outros participantes.

Parabéns a todos!!

Confiram a lista: http://www.premiomariocovas.sp.gov.br/2013/concorrentes_cidadania_rede.asp

 


OpenStreetMap ganha prêmio "Dia da Liberdade dos Documentos"

No dia 26/04/2014, Dia da Liberdade dos Documentos, o OpenStreetMap recebe um prêmio, o "Document Freedom Day award", reconhecendo o trabalho do projeto em padrões abertos e padrões emergentes. Uma conquista para todos membros que contribuem para esse grande projeto \o/

 

F4 Map mostrando Parque da Juventude, SP
Projeto Osm2xp http://wiki.openstreetmap.org/wiki/Osm2xp

Aplicando RGM na prática

Ontem recebei no posto do Acessa a visita do técnico Gustavo Ferreira do setor de Agropecuária e Meio Ambiente que diante de uma necessidade de seu setor trouxe para o projeto uma oportunidade de por em prática o que foi levantado ate agora pelo projeto.

A ideia é usar o mapeamento de Ribeirão Grande no OpenStreetMap para calcular a área de vegetação e mata nativa dentro da área urbana.


Coleta de dados nas rodovias entre Ribeirão Grande, Capão Bonito, Capela do Alto e Tatuí

Nesse fim de semana aproveitei um passeio pra coletar alguns dados nas rodovias SP-181, SP-127, SP-270, SP-141.

Alguns dados já estão no OSM. Como é muita informação, deixei alguns dados para outro dia :)

Foram coletados dados de postos de combustível, pontos de ônibus, radares, lombadas e limites de velocidade.

 

Fiz o percurso de carro como passageiro.


Mapeando no OpenStreetMap com seu celular

Se você tem um celular com Android e GPS, aqui vai uma dica de aplicativo para usar seu celular como ferramenta de mapeamento:

O OSMTracker é muito simples de usar e também muito prático: Basta pedir para gravar uma nova trilha ou continuar a partir de uma já existente (fig 1).

Fig 1
Fig 2
Fig 3
Fig 4
Fig 5

Mapeando cidades brasileiras no OSM com a camada TMS de dados do IBGE

Fazer correções, colocar nomes de ruas, bairros e outros dados no mapa do OpenStreetMap ficou mais fácil: Com o trabalho do Thiago Marcos P. Santos (https://github.com/tmpsantos/IBGETools), é possível mapear com uma camada TMS que  disponibiliza dados do IBGE. basta aproximar da cidade que os dados aparecem.
As cidades estão sendo adicionadas gradativamente, por ordem de estado e priorizando solicitações dos mapeadores em suas edições.

Vá em Imagery preferences
Clique no botão adicionar TMS
Coloque a URL e dê um apelido
Agora é só chamar a camada de dados

Mostrando as cidades no OSM

Mais dados para o OpenStreetMap, com destaque para a cidade de Guapiara, SP que ainda não estava no mapa e agora recebeu alguns pontos de interesse e algumas ruas. Isso foi feito com base em uma trilha de GPS (formato GPX) e mapas do IBGE como referência. Agradecimentos ao Hugo Queiroz pela contribuição da trilha.

Também foram colocadas algumas estradas municipais em Capão Bonito e o começo do Rio Paranapanema, também em Capão Bonito.


Fazendo um vídeo

Começa a edição de um vídeo que vai mostrar como editar mapas no OpenStreetMap usando como base os dados do IBGE.

É um tutorial que pode ajudar voluntários cujas regiões que pretendem mapear não possuem cobertura de imagens de satélite pelo Bing. Além disso os mapas do IBGE possuem muita informação.

Ah, o JOSM funciona nos postos do Acessa SP!!

O vídeo sai em breve...


Bairros importados do IBGE no OpenStreetMap

Foram colocados no mapa do OSM (OpenStreetMap) bairros rurais na região de Ribeirão Grande - Capão Bonito e Guapiara, e alguns próximos da fronteira deles dentro de Itapeva e São Miguel Arcanjo. A fonte dos dados foram os mapas do IBGE, que permite que seus dados possam ser utilizados no OSM. Veja mais: http://rede.acessasp.sp.gov.br/blogada/mapas-do-ibge-muita-informacao


Mapas do IBGE: Muita informação sobre sua região pode estar aqui

Para quem quer contribuir com o OSM (OpenStreetMap) e sua região não possui imagens de satélite, o IBGE é um prato cheio de informação.

Ah, Lembre-se das regras de ouro do OpenStreetMap:
"Não copie de outros mapas, quer impressos, quer da internet como o Google Maps, Sapo Mapas, etc. pois estão protegidos por direitos de autor.
Divirta-se!"

OSM - OpenStreetMap

Mostrar vários marcadores em um Mapa do OpenStreetMap com OpenLayers

Hoje comecei fazendo testes para exibir mapas com quantos marcadores precisar usando OpenLayers (http://openlayers.org/).

 

Minha conclusão é que o OpenLayers torna bem prático embutir um mapa em uma página web e deixa espaço aberto a sua criatividade.

 

Meu Hello world usando OpenLayers

Divulgar conteúdo